Volta para página inicial Conheça o Monza Clube do Brasil Participe do Clube Confira a agenda do Monza Clube Mapa do site A maior montadora do país Um marco na indústria automobilística Parceiros do Monza Clube Shopping Fale Conosco
 
Clique aqui para voltar à página inicial do SOS Auto
..

Os esclarecimentos abaixo são referentes à Carburadores

 
S.O.S. publicado em: 17/10/2001
Enviado por: Christian de Oliveira (Gravataí, RS)
Características do carro: Monza Classic SE 2.0, gasolina

Dúvida: gostaria de obter as calibragens do carburador de meu veículo para que o mesmo fique com as regulagens originais.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Christian, o seu carro, originalmente, deve estar equipado com o carburador Brosol 2E7 de nº 174550 de nº original 52.252.246, 52.253.124, 52.255.275 ou 94.657.372 e cuja calibração lhe forneço abaixo:

Item

1º corpo 2º corpo
venturi 22 26
difusor 2 6
giclêur principal 112 147
giclêur de correção de ar B105 X110
giclêur de marcha lenta 52 100
corretor de ar da marcha lenta 155 70
 
tubo injetor 35
alvo do jato difusor
econostat 220
calibrador de válvula de máxima 65
válvula de máxima 3E1
válvula de agulha 2,5
bóia 8.6
volume da bomba em cm³/golpe 1,0 +/- 0,2
nível sob pressão de 0,2Kgf/cm² ferramenta 286.030
abertura da borboleta do afogador - pneumático 3,2 +/- 0,1
                                                             - mecânico 3,2 +/- 0,1
regulagem do dash-pot (voltas) 2 1/2 - 1/2
identificação da tampa 5 ou 5G
identificação do corpo 7 ou 6 ou 6G

Regule o motor com a rotação de 850 a 950 rpm, ponto de ignição de 6°AMPS a 900rpm e CO em níveis de 1,0 a 2,0%.

S.O.S. publicado em: 04/10/2001
Enviado por: Rafael Figueiredo da Silva (Cachoeira do Sul, RS)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1986, álcool

Dúvida: tinha instalado em meu carro um carburador Solex simples, sendo que o mesmo fazia em torno de 8 km/l na cidade, mas acabei colocando um Weber. O problema, agora, é que o consumo está muito alto. Qual o melhor carburador a ser utilizado?

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Rafael, para o modelo de seu carro eu sempre preferi o carburador Brosol 35Alfa-1 mas, mesmo assim, o carburador Weber deveria apresentar um consumo próximo ao do carburador Brosol. Posso lhe afirmar que a melhor solução seria procurar pela oficina que fez a substituição e solicitar uma melhor verificação do motor e, também, da possibilidade de o carburador instalado estar com algum problema de calibração ou mesmo no nível da bóia.

S.O.S. publicado em: 04/10/2001
Enviado por: Richard Randis Lacerda (São Paulo, SP)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1988, álcool

Dúvida: um dos problemas de meu carro está relacionado ao afogador pois, estando o motor ainda frio o veículo falha muito e, caso utilize o afogador, o motor chega até a morrer, sendo que estando em sua temperatura normal o funcionamento é perfeito. Já o sistema de partido à frio está funcionando constantemente, independentemente da temperatura do motor.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Richard, o sistema afogador ou de partida a frio tem a finalidade de enriquecer a mistura para facilitar o funcionamento do motor quando frio, principalmente pela manhã. O enriquecimento é obtido através da diminuição da quantidade de ar que entra no carburador, durante o fechamento da borboleta afogadora. Ao acionar totalmente o afogador, esta borboleta deve manter uma abertura de 2,8 mm +/- 0,1 mm. Na partida do motor, o vácuo gerado por ele atua dentro do carburador, passando pela abertura positiva e arrastando combustível dos sistemas de marcha lenta (principal e de aceleração). Isto simultaneamente, para descarregar a mistura dentro do fluxo principal. Quando o motor entra em funcionamento é necessário aumentar a quantidade de ar na mistura para que o mesmo não deixe de funcionar por excesso de combustível. Para permitir o aumento da quantidade de ar no fluxo principal, a borboleta afogadora se abre através de uma cápsula desafogadora. Essa abertura é determinada pela fábrica. Quando o sistema afogador é acionado, a borboleta afogadora fecha e transmite um movimento através de hastes e alavancas para a borboleta de aceleração, provocando uma pequena abertura chamada de "abertura positiva". Ela permite a passagem do vácuo formado abaixo da borboleta de aceleração para o meio do carburador, fazendo o arrasto de combustível. Para cada modelo de carburador existe uma medida específica de abertura positiva, determinado pelo fabricante. No caso do seu carburador, ela é de 0,85 mm +/- 0,05 mm. A partir do momento em que é dada a partida no motor, o vácuo formado abaixo da borboleta de aceleração, através de uma tomada de vácuo, aciona a cápsula pneumática, que abre a borboleta afogadora. Essa abertura precisa ser ajustada para 2,9 mm +/- 0,1 mm. Verifique também se a tomada de vácuo não está obstruída, mangueira furada, cápsula desafogadora furada, borboleta engripada ou desregulada e abertura positiva fora do padrão. Atente que para o sistema funcionar bem é importante que todo o resto do carburador também esteja, principalmente com relação ao nível da bóia e calibração dos gicleur. A injeção de gasolina na partida a frio deve estar funcionando constantemente devido a irregularidade de funcionamento do interruptor de temperatura, o qual deve estar em curto com a massa.

S.O.S. publicado em: 04/10/2001
Enviado por: Rogério Baptista
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1990, gasolina

Dúvida: o carro fica meio que "preso" para andar e, em algumas vezes, perdendo a rotação, sendo necessário acelerar a marcha lenta. Gostaria de saber a regulagem correta para que o mesmo voltasse a ter a rotação ideal.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Rogério, o seu carro está equipado com o carburador Brosol 2E7 174550, o qual utiliza o gicleur de marcha lenta 155/52, sendo ele que alimenta o motor na fase de progressão e/ou nas faixa de até 2.200 rpm. Caso venha a ter algum problema no sistema de lenta/progressão, realmente o motor fica meio que preso, sendo necessário constantes regulagens no carburador. Neste caso, o melhor a fazer é retirar o carburador para uma boa revisão, tomando muito cuidado com possíveis entradas falsas de ar e obstrução de dutos internos no corpo do carburador. O problema é simples de se resolver e posso afirmar que uma boa oficina de regulagem não terá maiores dificuldades em realizar uma perfeita regulagem.

S.O.S. publicado em: 06/09/2001
Enviado por: André Ricardo Santiago (São Gonçalo, RJ)
Características do carro: Monza Classic SE, 1989, álcool

Dúvida: gostaria de saber se os carburadores 2E e 2E7 são os mesmos. Sendo idênticos, qual a calibragem correta?

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: André, os modelos Brosol 2E e 2E7 são os mesmos carburadores. Observe apenas a aplicação correta que, no seu caso, deve ser o de número 174.542 (Brosol) ou 52.252.244 (GM). A calibração é o seguinte:

Item

1º corpo 2º corpo
venturi 22 26
difusor 8 4
giclêur principal 140 167
giclêur de correção de ar B110 F95 ou X95
giclêur de marcha lenta 50 100
corretor de ar da marcha lenta 140 100
 
tubo injetor 55
alvo do jato venturi
econostat 100
calibrador de válvula de máxima 4E¹
válvula de agulha 2,5
bóia 8.6
volume da bomba em cm³/golpe 1,8 +/- 0,2
nível sob pressão de 0,2Kgf/cm² ferramenta 286.030
abertura positiva com afogador - mm 0,90 +/- 0,05
abertura da borboleta do afogador - pneumático -3,3 +/- 0,1
                                                             - mecânico -3,3 +/- 0,1
identificação da tampa 4
identificação do corpo 5

S.O.S. publicado em: 06/09/2001
Enviado por: Rogério C. Costa (Belo Horizonte, MG)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1986, gasolina

Dúvida: qual a diferença que um carburador Weber faria em meu carro e qual o melhor modelo indicado?

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Rogério, seu Monza vem equipado com carburador Brosol 35Alfa-1 e não possui opção de carburador Weber _como é o caso do Monza a álcool. O carburador Brosol tem se mostrado muito eficiente no Monza, proporcionando bom desempenho em alta e economia de combustível. Creio que, para ser melhor, falta um pouco de torque em baixa rotação, ou seja, para que o veículo tenha uma resposta de aceleração mais agressiva. Mas isso só é possível com a adoção de um carburador de corpo duplo estagiado.

S.O.S. publicado em: 06/09/2001
Enviado por: Reginaldo Barreto (São Paulo, SP)
Características do carro: Monza SL/E 2.0, 1991, álcool

Dúvida: gostaria de saber qual a correta regulagem do carburador de meu Monza.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Reginaldo, você não me informou a motorização de o seu Monza. Sendo assim, estarei informando a regulagem do motor 1.8 e, também, do motor 2.0.

                                           motor 1.8

        motor 2.0

Item

1º corpo 2º corpo 1º corpo 2º corpo
venturi 21 25 22 26
difusor 3 7 8 4
giclêur principal 127 162 140 167
giclêur de correção de ar B110 F95 ou X95 B110 F95 ou X95
giclêur de marcha lenta 57 100 50 100
corretor de da marcha lenta 140 100 140 100
 
tubo injetor 60 55
alvo do jato venturi venturi
econostat 100 90
calibrador de válvula de máxima 70 70
válvula de máxima 4E' 4E'
válvula de agulha 2,5 2,5
bóia 8.6 8.6
volume da bomba em cm³/golpe 1,8 +/- 0,2 1,8 +/- 0,2
nível sob pressão de 0,2Kgf/cm² ferramenta 286.030 ferramenta 286.030
abertura positiva com afogador 0,90 +/- 0,05 mm 0,90 +/- 0,05 mm
abert. borboleta afogador - pneumático 2,90 +/- 0,10 mm 3,30 +/- 0,10 mm
                                             - mecânico 2,80 +/- 0,10 mm 3,30 +/- 0,10 mm
identificação da tampa 4 4
identificação do corpo 4 5

Procedimentos para a regulagem: 1) aquecer o motor até que ligue a ventoinha por três vezes (melhor ainda se der uma volta com o carro); 2) ajustar a rotação de marcha lenta entre 850 a 950 rpm; 3) desconectar a mangueira do avanço a vácuo e ajustar o ponto de ignição em 10° APMS (8° APMS no caso do motor 2.0) e reconecte a mangueira; 4) ajustar novamente a rotação de marcha lenta para 900 +/- 50 rpm; 5) regular o parafuso de mistura até atíngir o % de CO entre 1,0 a 2,0% para o motor 1.8 ou até 4% para o motor 2.0; 6) refaça a regulagem de rotação da marcha lenta e, também, da mistura.

S.O.S. publicado em: 09/08/2001
Enviado por: Jean Conradi Antunes (Agrolândia, SC)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1989, álcool

Dúvida: estando o motor em marcha-lenta, caso pise de vez no acelerador, o giro sobe rápido e sem falhas. Do contrário (acelerando normalmente) a rotação do motor tem uma certa queda, subindo em seguida e dando uma engasgada.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Jean, é muito provável que o problema esteja no carburador. Faça uma revisão completa. Mas tome o cuidado para que seja observado todas as calibrações e ajustes conforme manual técnico. Especial atenção no nível da bóia, volume da bomba de aceleração rápida, alvo do jato, ajuste do came da bomba de aceleração, sistema de marcha lenta e de progressão, etc. O carburador é um componente mecânico e, como tal, é passivel de se observar e medir todos os seus componentes e sistemas. Desta forma, um mecânico que realmente conhece não precisa ficar tentando substituir peças para fazer testes.

S.O.S. publicado em: 09/08/2001
Enviado por: Fernando Ozorio (Osasco, SP)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1984, álcool

Dúvida: em outras consultas que solicitei, mencionei a questão sobre o carburador do Monza 1984. Disse que era "manso" e que pretendia substituí-lo. Mas você me disse que não aconselharia o BLFA. Por que? Uma outra questão seria a troca do cabeçote. Como o motor está um "relógio", não gostaria de mexer nele mas, já que a queixa é a falta de torque em subidas íngremes, o que poderia ser feito para melhorar o rendimento?

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: aconselhei a não utilização do carburador Brosol BLFA em virtude de o mesmo apresentar um consumo extremamente elevado. Observe que a cada movimento de acelerador do início ao fim, tal carburador injeta 5,0 +/- 0,5 cm³ de combustível, contra 1,8 +/- 0,2cm³ do carburados Brosol 2E7. Esse volume alto de injeção, em situação de aceleração rápida, é característico de carburadores projetados para um baixo consumo em condições de regime constante, como é o caso de uma estrada tranquila. No entanto, em caso de utilização em cidade, onde se movimenta muito o acelerador com as constantes trocas de marchas e o anda e pára, o consumo seria muito elevado. Vale lembrar que o carburador Brosol 30/34 BLFA equipou o Monza somente no período de 09/85 a 06/86, sendo imediatamente substituido pelo carburador Brosol 2E7. Para melhorar o torque em baixas rotações, você realmente vai precisar de um carburador que tenha um venturi mais estreito e, para não perder a potência em alta, a melhor opção é o carburador de corpo duplo estagiado. Para não ter que trocar o cabeçote, você poderá fazer uma flange para adaptar o carburador no seu coletor de admissão, sendo necessário trocar apenas a caixa do filtro de ar.

S.O.S. publicado em: 28/06/2001
Enviado por: Javier Ramos (Caracas, Venezuela)
Características do carro: Monza Classic 1.8, 1987, gasolina

Dúvida: o carburador não pode ser acionado e, supostamente, tenho uma agulha da entrada de ar partida no interior do mesmo ou uma válvula mal assentada.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Javier, para uma boa regulagem do seu carburador você vai precisar procurar por um torneiro mecânico para retirar a agulha de regulagem de mistura que quebrou dentro do seu alojamento, e isto não é difícil. Os carburadores Brosol 2E7 que equipam originalmente os Monzas deste ano, tem o alojamento da agulha da bóia prensada na tampa mas, mesmo assim, ainda é possível a sua substituição. No Brasil, existem kits não originais de reparo da agulha, permitindo resolver qualquer problema de vedação da mesma.

S.O.S. publicado em: 28/06/2001
Enviado por: Jocemar Gabbi (Araraquara, SP)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1986, álcool

Dúvida: mandei fazer uma revisão no carburador em uma oficina autorizada Magneti Marelli de minha cidade, pois o veículo estava com dificuldades para pegar de manhã. Foram trocadas: juntas, reparos, velas etc. Só que, agora, a marcha lenta fica oscilando levemente entre 850 e 1000 RPM, defeito esse que antes não existia.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Jocemar, creio que você tenha feito o serviço com o meu amigo José Luiz, da Auto Teste Lima, uma oficina que tenho consideração e respeito. O que provávelmente esteja acontecendo com o seu carro é a entrada "falsa" de ar pelo eixo do carburador. Isso ocorre em virtude do desgaste do próprio eixo e o sintoma não aparecia antes pois é comum que nesta folga existente estivessem depositados resíduos de carbonização que evitavam a passagem do ar. Faça um teste da seguinte forma: com o motor aquecido e em marcha lenta, espirre um pouco de desingripante em spray, tipo WD-40, na base do carburador, mais especificamente no eixo da borboleta. Caso a marcha lenta se altere, está confirmado a entrada falsa de ar. Para solucionar o problema, você pode mandar recondicionar a base do carburador.

S.O.S. publicado em: 28/06/2001
Enviado por: Rodrigo Ricardo Schauffert (Otacilio Costa, SC)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1986, gasolina

Dúvida: após "derreter" o motor original, instalei um do Kadett SL 1.8 ano 94 em perfeito estado. Devido ao elevado custo do sistema de injeção eletrônica, optei por uma adaptação para um carburador 3E, através de uma flange no coletor de admissão, sendo que este carburador simplesmente rachou na primeira semana, o que me levou a adquirir outro. Depois da instalação do novo carburador, o carro passou a ter um comportamento bastante irregular, havendo dias em que a aceleração e a retomada são péssimas e outros em que simplesmente parece que foi instalado um turbo, dada a resposta imediata ao menor toque no acelerador. O sistema de arrefecimento, transmissão e elétrico passou por uma revisão completa junto com a troca do motor. Ouvi dizer que o problema apresentado se trata de uma característica do carburador 3E e que seria recomendável a adoção de um 2E.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Rodrigo, o carburador 3E7 não apresenta nenhuma característica negativa. O que deve estar acontecendo é a falta de observação em algum dos ítens vitais ao bom funcionamento do motor, tais como a válvula termostática, filtro de combustível, pressão da bomba de combustível, mangueiras de combustível, curva de avanço a vácuo e centrífugo do distribuidor etc. Observe que não existe carburador 3E7 para o motor 1.8 à gasolina, sendo a sua aplicação apenas nos motores 2.0. Até ai não vejo nenhum problema em continuar com a sua utilização, principalmente se você prevê a utilização mais esportiva do seu carro. Simplesmente será necessária alguma adequação da mistura para o atual motor.

S.O.S. publicado em: 14/06/2001
Enviado por: Marcus Lima (Araraquara, SP)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1984, gasolina

Dúvida: o meu carro, freqüentemente, dá "socos" quando em segunda ou terceira marchas e em velocidade constante. Por diversas vezes, já foram feitas limpezas no carburador (Brosol 160.505) , trocou-se juntas, agulha da bóia, diafragma de máxima etc. O último diagnóstico: devo trocar o carburador. No entanto, o mecânico disse que o carburador desse modelo não é mais fabricado. A saída seria tentar uma adaptação do carburador do último Kadett fabricado sem injeção eletrônica.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Marcus, realmente este é um problema que incomoda muita gente, mas vamos tentar resolver o seu. O carburador Brosol 160.505 tem a caixa do filtro de ar fixado em sua tampa, o que provoca o empenamento do mesmo com o tempo. Desta forma, alguns canais de ar que passam pelo corpo e pela tampa, como é o caso do canal de vácuo do desafogador pneumático, não fazem uma perfeita ligação, permitindo assim a entrada de ar "falsa" e provocando os tais trancos. Faça um teste jogando um spray do tipo WD-40 em volta do carburador com o motor funcionando em marcha lenta. Caso exista alguma entrada de ar falsa, a rotação do motor irá se alterar. Para resolver o problema, não é necessário substituir o carburador; basta alinhar a tampa e o corpo para que haja uma perfeita vedação em todos os pontos e, caso isso não seja possível, utilize um tubo de latão, que pode ser até mesmo do próprio bico injetor, para fazer a ligação entre os canais da tampa e do corpo.

S.O.S. publicado em: 14/06/2001
Enviado por: Nivaldo Paulo Arnold Junior (Curitiba, PR)
Características do carro: Monza S/R 1.8, 1986, álcool

Dúvida: sei que o Monza S/R tem um câmbio mais curto mas, mesmo assim, penso que uma média de 3 km/l na cidade é alta e, quando abre o segundo estágio do carburador, o motor embaralha.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: o Monza S/R 86 vinha originalmente equipado com o carburador Brosol 30-34/BLFA de corpo duplo, que eu particularmente considero de consumo muito elevado. A cada movimento de curso total do acelerador, tal carburador injeta 5,0cm³ de álcool, enquanto que o carburador 35-Alfa-1 injeta 1,1cm³ e o carburador 2E7 injeta 1,8cm³. Ele foi desenvolvido para ter caracteristicas esportivas mas, no entanto, devido à legislação tributária daquela época, o carburador vinha com um limitador de abertura do segundo corpo para reduzir a potência a níveis de 99 cv. Esse limitador pode e deve ser retirado, liberando, assim, a potência de 106 cv que o motor desenvolve. Quanto à falha, aí sim, uma provável indicação de deficiência no funcionamento do carburador. Aproveite para fazer uma revisão numa boa oficina, a qual poderá reconstituir a originalidade do veículo e restabelecendo, desta forma, os níveis de consumo ideais.

S.O.S. publicado em: 03/05/2001
Enviado por: Fernando Ozorio (Osasco, SP)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1984, álcool

Dúvida: não tenho do que me queixar do meu veículo, a não ser pelo desempenho do carburador (Solex 35 Alfa1), achando-o fraco em subidas íngremes. Às vezes, parece tratar-se de um carro de menor cilindrada. A idéia seria instalar um carburador de corpo duplo que me dê mais torque em baixa rotação e mais potência em alta. A dúvida fica por conta de qual modelo usar. Gostaria que o senhor me comentasse sobre os modelos BFLA, 2E, 3E. Além disso, gostaria de saber sua opinião sobre o uso do TLDZ 1.8 nesse veículo, indiferente da questão da flange para fixá-lo, pois um torneiro já a fez. Não seria danoso ao motor o uso da TLDZ?

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Fernando, particularmente acho o carburador Brosol 35-Alfa1, que equipa originalmente o seu carro, um excelente carburador. Alíás, o melhor dos carburadores de corpo simples que equipou o Monza mas, por ser de corpo simples, sofre desse mal. Como foi desenvolvido para proporcionar um bom desempenho pecou na falta de torque em baixas rotações. O veículo equipado com este carburador exige que você mantenha o motor sempre cheio, que trabalhe em rotações sempre próximo ao de torque máximo, que é de aproximadamente 2.500 rpm. Só assim você obterá respostas imediatas ao comando do acelerador. A adoção do carburador de corpo duplo realmente trouxe mais potência em alta e melhor torque em baixas rotações e uma consequente redução de consumo, mas a sua adaptação exige a confecção de uma flange especial, assim como você mesmo menciona, ou a substituição do cabeçote para então poder instalar o coletor de admissão específico para o modelo de carburador. O carburador BLFA a GM o utilizou por apenas seis meses, pois não trouxe o resultado esperado. Por este motivo eu também não o recomendo. O carburador 3E7 vai cair no problema antigo pois, devido ao seu maior venturi, vai prejudicar parcialmente o torque em baixos regimes, apesar de proporcionar maior potência mas, em alta rotação, o carburador 2E7, esse sim eu diria se tratar de uma excelente escolha, dosa de forma eficaz a potência e o torque (também equipou o Monza de 86 a 91). Quanto ao TLDZ, o problema é que não existe uma calibração específica para o Monza e teria que ser adaptado à caixa do filtro de ar e à alavancagem do acelerador e afogador.

S.O.S. publicado em: 19/04/2001
Enviado por: Clenio R.F. Santos (Ipatinga, MG)
Características do carro: Monza SL/E 2.0, 1990, álcool

Resposta: gostaria de saber se o consumo médio de 8,5 km/l pode ser considerado normal. Outra dúvida: andando normalmente, após atingir 4.000 rpm, o carro dá um ''salto" para frente e ganhando torque.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Clenio, sendo o consumo citado na cidade está muito bom. Agora, se for na estrada, está fora dos padrões e, assim, necessária uma verificação dos motivos do alto consumo. Em relação à variação no funcionamento do motor, isso ocorre devido a uma falha (retardo) na resposta do 2º corpo do carburador.

S.O.S. publicado em: 19/04/2001
Enviado por: Ivano Ramos de Oliveira (Rio de Janeiro, RJ)
Características do carro: Monza Classic, 1989, gasolina

Dúvida: o carburador de meu veículo não tem dificuldade na partida pela manhã e, ao desligar, acaba ocorrendo o afogamento por excesso de combustível. O problema é que já limpei o carburador e troquei tudo, inclusive válvula, agulha e bóia, originais Brosol. Obs: o combustível fica gotejando e encharcando a borboleta do carburador.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Ivano, na verdade, até a adoção da injeção eletrônica, esse problema fez muitos engenheiros das montadoras perderem noites de sono na tentativa de resolver ou de, pelo menos, minimizar o problema. A Fiat, por exemplo, chegou a substituir a bomba de combustível por uma elétrica que, quando desligava o carro, ela retornava o combustível da cuba do carburador para o tanque de combustível. A GM tentou colocar uma aeração na cuba dos carburadores do Diplomata. E por aí vai... Se você observar, o Manual do Proprietário diz que sempre que for ligar o carro com o motor quente você deve pisar o acelerador até o fundo e só soltar quando o motor funcionar. Isso porque, nesta situação, o motor está afogado devido a nossa gasolina ter o ponto de ebulição muito baixo e, quando o motor é desligado, o calor do motor envolve o carburador e faz com que a gasolina existente em seu interior ferva e passe a derramar pelo difusor para o interior dos cilindros. Se você esperar um pouco mais, a ponto de o motor baixar a temperatura para a casa dos 40ºC, verá que o motor pegará normalmente, sendo este um problema exclusivo dos motores da gasolina.

S.O.S. publicado em: 19/04/2001
Enviado por: Fernando Osorio (Osasco, SP)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1984, álcool

Dúvida: meu Monza está fazendo uma média de 4 km/l. Li algumas reclamações sobre consumo elevado de combustível no Monza Clube e que, de certa forma, em se tratando de álcool, é até normal. Antes de comprar este veículo, possuia um Gol 1.8 à álcool, o qual tinha um consumo muito mais econômico. O que mais me intriga entre ambos os veículos é o rendimento em subidas (ladeiras), sendo que o Monza sobe com dificuldades em 2ª marcha e batendo pino. Fui informado que trocando-se carburador original (Solex 35 Alfa1) pelo 2E (dos modelos mais novos) seria benéfico, pois o 2E tem o 1º venturi menor, trazendo mais torque e mais economia do que o Solex 35 e, na progressão, haveria ganho de potência pela combinação dos dois difusores. É verídica essa informação? Obs: o motor sofreu uma recente revisão sendo que, segundo informações da oficina, o mesmo se encontra em condições normais de uso.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Fernando, realmente existe uma grande diferença de consumo entre os dois veículos mas, como são totalmente diferentes, tanto na sua construção como em relação ao peso, fica difícil de se fazer uma comparação entre ambos. Realmente, a informação sobre o carburador Brosol 2E7 procede, pois o carburador de corpo duplo tem justamente a função de equilibrar torque em baixas rotações e potência em alta, ao contrário do carburador de corpo simples Brosol H35Alfa-1, que possui uma única base de 35mm com a finalidade de privilegiar a potência, mas prejudicando o torque em baixas rotações. Esse é o motivo de se enfrentar as subidas que você menciona. Vale lembrar que para substituir o carburador é necessário, também, trocar o coletor de admissão, caixa do filtro de ar, o cabeçote e o distribuidor. Isso em virtude do coletor de admissão do carburador 2E7 não servir no cabeçote do seu carro e o distribuidor porque as curvas de avanço a vácuo e o centrífugo devem ser de acordo com a alimentação do carburador. O que  me estranha é o fato do carro ter sido regulado e o mesmo bater pino em subidas. Mesmo forçando, isso não deveria acontecer.

S.O.S. publicado em: 22/02/2001
Enviado por: Fábio Machado Triunfo (São Paulo, SP)
Características do carro: Monza SL/E 2.0, 1990, gasolina

Dúvida: logo pela manhã, quando ligo o carro, ele pega normalmente. Após uma pequena volta, desligo-o e preciso esperar cerca de meia hora para ele funcionar novamente.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Fábio, seu problema, provavelmente, é de excesso de combustível no carburador. Sempre que o mesmo tiver problema de estanqueidade da válvula de agulha, este passa a "afogar" sempre que o veículo é desligado e só se consegue ligar novamente após a evaporação da gasolina excedente. Neste caso, seu carro deve estar com alto consumo de combustível e, se por acaso, necessitar ligar o veículo ainda com o motor quente, procure apertar o acelerador até o final e só levantar o pé quando o motor entrar em funcionamento. Assim, ele deve pegar mais rápido, pois você estará dando uma condição de admissão de maior volume de ar no motor. Me procure, a partir do dia 01/03/2001, em minha nova oficina: Yoshimura Auto Technik (av. Dom Pedro II, 2283, bairro Campestre, Santo André-SP, tel. (0xx11) 4991-7298). Terei o maior prazer em efetuar, gratuitamente, o diagnóstico do seu carro. Considere isso como um presente do Monza Clube.

S.O.S. publicado em: 22/02/2001
Enviado por: Maurício Carrazzoni (Rio de Janeiro, RJ)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1986, álcool

Dúvida: fiquei sabendo que todos os Monzas equipados com ar-condicionado de fábrica possuem carburador de corpo duplo, mas percebi que, no meu caso, o veículo está equipado com carburador de corpo simples da marca Solex. Isso é prejudicial, assim como o consumo e o desempenho são afetados? Na cidade, por exemplo, a média está em 6 km/l.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Maurício, o Monza nunca teve um carburador específico para o veículo equipado com ar-condicionado. Na verdade o que ocorre é que o carburador, mesmo sendo de corpo simples,  vem equipado com um compensador de marcha lenta que efetua a correção sempre que o compressor do condicionador estiver ligado. Seu veículo possui um carburador Solex 35-Alfa 1 de corpo simples que, por sinal, o acho excelente e, devido às dimensões do seu venturi, proporciona um bom desempenho em alta rotação, sem nenhum prejuízo ao consumo que, no seu caso, é considerado muito bom.

 

Clique aqui para ler as próximas dúvidas/perguntas

 
Volta para página inicial Conheça o Monza Clube do Brasil Participe do Clube Confira a agenda do Monza Clube Mapa do site A maior montadora do país Um marco na indústria automobilística Parceiros do Monza Clube Shopping Fale Conosco

Monza Clube do Brasil - Todos os direitos reservados