Volta para página inicial Conheça o Monza Clube do Brasil Participe do Clube Confira a agenda do Monza Clube Mapa do site A maior montadora do país Um marco na indústria automobilística Parceiros do Monza Clube Shopping Fale Conosco

..

Suspensão

 
S.O.S. publicado em: 28/06/2002
Enviado por: Leonardo Costa (São Paulo, SP)
Características do carro: Monza SL/E 2.0 EFI, 1992, álcool

Dúvida: o meu Monza apresenta uma pequena vibração quando o motor está trabalhando em marcha lenta, a qual pode ser percebida tanto no banco como no volante. Aparentemente, nada de anormal, sendo que o conta-giros marca 1000 rpm e sem oscilações.

Resposta: Leonardo, para resolver este problema você deverá examinar a situação dos coxins do motor e do câmbio e, também, a articulação existente no escapamento. É comum estes itens apresentarem problemas e, por isto, a vibração do motor se transferir para toda a carroceria. Verifique também se não ocorre nenhum contato do motor com partes da carroceria, tais como o protetor de cárter, escapamento etc.

S.O.S. publicado em: 17/10/2001
Enviado por: Fernando Piccinini (Vitória, ES)
Características do carro: Kadett Classic 2.0, 1987, álcool

Dúvida: resolvi rebaixar o meu carro, sendo que foram cortados dois elos das molas e os amortecedores preparados. Após essas modificações, a suspensão dianteira ficou "rangendo". Segundo o meu mecânico, o problema pode estar relacionado às molas ou às buchas.

Resposta: Fernando, no Monza o que normalmente faz ranger são as buchas da barra estabilizadora e, neste caso, basta retirar e lubrificar. Como você menciona que o problema ocorreu após o rebaixamento da suspensão, é bom verificar os calços das molas que, se estiverem sem ou danificados, também provocam este barulho. Uma boa solução seria encapar as molas com mangueiras plásticas.

S.O.S. publicado em: 06/09/2001
Enviado por: Edmar T. Pereira (Campinas, SP)
Características do carro: Kadett GSI 2.0, 1994, gasolina

Dúvida: fiz, em uma casa especializada, o alinhamento e a cambagem em meu veículo mas, em recente visita à uma concessionária, obtive a informação de que na linha Kadett não é feita a regulagem de cambagem e caster, pois os mesmos são fixos.

Resposta: Normalmente todos os carros tem a cambagem fixa mas, com o tempo, são necessários ajustes em virtude da deformação que a suspensão, agregado ou até mesmo a carroceria sofrem devido à fadiga do material. Este trabalho é realizado por profissionais específicos e com a utilização de uma bomba hidráulica.

S.O.S. publicado em: 06/09/2001
Enviado por: Rodrigo Cardoso (Brasília, DF)
Características do carro: Monza GLS 2.0 EFI, 1995, gasolina

Dúvida: em manobras, quando esterço totalmente o volante para um lado e, em seguida, engato a ré, ouve-se um estalo forte na suspensão dianteira como se tivesse quebrado algo, mas nada acontece. A suspensão já foi reapertada mas o problema não foi solucionado. O carro roda normalmente e as rodas estao alinhadas.

Resposta: Rodrigo, creio que a pior coisa de um carro é detectar barulho, principalmente quando não se tem equipamentos adequados ao trabalho. No entanto, posso lhe adiantar que tenho visto muitos problemas deste tipo ocorrer após a substituição do rolamento de roda. Tem sido comum as lojas de auto-peças fornecerem o rolamento do Passat, por serem visualmente parecidos, mas, ao serem forçados como no caso citado, ele se movimenta no alojamento e provocando o estalo.

S.O.S. publicado em: 09/08/2001
Enviado por: André Bole Júnior
Características do carro: Monza GLS 2.0 EFI, 1996, gasolina

Dúvida: quando saio em primeira marcha, o carro trepida. Já mandei trocar, na concessionária, platô, disco, rolamento e cabo, além dos coxins dos amortecedores dianteiros, mas o problema persiste.

Resposta: grande parte dos problemas de trepidação em automóveis equipados com platô de carcaça estampada, como é o caso do Monza, se deve ao aperto irregular na instalação, ocasionando deformação da carcaça ou dos dedos da mola da membrana. Quando o platô está na condição livre (antes do aperto dos parafusos de fixação), sua placa de pressão está avançada, e recua forçadamente à medida que o mecânico aperta os parafusos. Dependendo da força exercida e da seqüência de aperto dos parafusos, pode haver a deformação da carcaça de chapa, ou o desalinhamento dos dedos da mola membrana, provocando a trepidação da embreagem. É fácil prevenir este defeito montando-se o platô acionado. Para isso, basta colocar um cabo metálico ou plástico entre a carcaça do platô e a mola da membrana, o qual fará com que a placa de pressão recue, permitindo instalar o conjunto de embreagem mais facilmente. Recomenda-se utilizar um cabo de aço como, por exemplo, o "arame" de um cabo de embreagem. 1) Com o auxílio de uma pequena prensa, pressione a mola membrana (chapéu-chinês) de modo que o platô fique acionado. Aconselha-se a utilização de um volante como base de fixação. 2) Com o platô acionado, insira o cabo metálico entre a carcaça e a mola membrana. 3) Retire o platô da prensa e instale o conjunto de embreagem normalmente, apertando os parafusos progressivamente (aos poucos) e alternadamente (em cruz). Naturalmente, você perceberá um aperto mais fácil. 4) Retire o cabo.

S.O.S. publicado em: 03/05/2001
Enviado por: Sérgio José Ongaratto (Governador Valadares, MG)
Características do carro: Monza GLS 2.0 EFI, 1995, gasolina

Dúvida: toda vez que se vira totalmente o volante, ou quase que totalmente, para o lado esquerdo com o carro em movimento, ouve-se um "ploc" vindo da parte da frente do carro. Já foi reapertada toda a suspensão dianteira e nada resolveu.

Resposta: Sérgio, eu tenho visto muito este problema quando se utiliza o rolamento de roda do Passat dentro da torre. Aparentemente os rolamentos são idênticos mas, no entanto, existe uma diferença ínfima, suficiente para fazer com que o mesmo se movimente dentro do seu alojamento, provocando o ruído característico sempre que se fizer uma curva.

S.O.S. publicado em: 03/05/2001
Enviado por: Odemir Lima da Silva (São Paulo, SP)
Características do carro: Monza Classic SE, 1989, gasolina

Dúvida: é normal o rangido que se faz na coluna de direção quando viro o volante?

Resposta: Odemir, a GM é o maior fabricante de veículos do mundo e, com certeza, não deixaria um carro sair da sua linha de produção com esse barulho, ainda mais um carro muito bem desenvolvido e testado como o Monza. Ocorre que a bucha plástica que centraliza a coluna de direção necessita de lubrificação. Basta um pouco de graxa para acabar com o rangido.

S.O.S. publicado em: 03/05/2001
Enviado por: José Maria Jr. (Fortaleza, CE)
Características do carro: Monza GL 2.0 EFI GNV, 1995, gasolina

Dúvida: instalei gás natural em meu carro, utilizando cilindro de 15m3. Ele pesa, mais ou menos, 70 kg, percebendo que a traseira está um pouco baixa. Ouvi dizer que pode-se colocar calços na suspensão traseira ou, então, amortecedores próprio para GNV. Posso deixar como está? Não haverá problemas quando utilizar o veículo com cinco passageiros?

Resposta: José, na verdade, seu carro é projetado para uma carga muito superior na traseira. Basta você lembrar que 70 kg representa menos que o peso de uma pessoa e o seu carro comporta três passageiros na traseira, além da bagagem de até cinco pessoas. É bom verificar o estado da  suspensão quanto aos amortecedores e molas pois, neste caso, ele não deveria ficar baixo e, se preferir, você pode apenas usar molas mais reforçadas como no caso do Monza Classic automático.

S.O.S. publicado em: 19/04/2001
Enviado por: Diogo Borges (Joinville, SC)
Características do carro: Monza GLS 2.0 EFI, 1995, gasolina

Dúvida: percebo barulhos, andando em baixa velocidade, vindos da parte traseira esquerda. Troquei o jogo de amortecedores (mais as peças que compõem a suspensão), mas já tive que substituir, gratuitamente (na garantia), o amortecedor traseiro esquerdo umas três vezes, pois sempre apresentava folga. Qual é o problema? Será do amortecedor ou será do meu carro?

Resposta: Diogo, é claro que o problema é do seu carro, pois a possibilidade de um amortecedor novo ter que ser substituído é muito remota. Agora, três vezes... A menos, é claro, que se esteja utilizando amortecedores recondicionados. Caso não seja este o seu caso, a primeira providência que você deve tomar é levar seu carro até uma oficina de alinhamento técnico para gabaritar a suspensão.

S.O.S. publicado em: 19/04/2001
Enviado por: Fábio Célio Ramos (Florianópolis, SC)
Características do carro: Monza Classic SE 2.0, 1988, álcool

Dúvida: ao fazer curvas para o lado direito, escuto um tranco e, depois, a direção hidráulica distorce normalmente.

Resposta: Fabio, o problema do seu carro está na caixa de direção, que deve haver alguma quebra ou desgaste excessivo em alguns dentes da cremalheira. A única solução é a sua substituição.

S.O.S. publicado em: 19/04/2001
Enviado por: Edmar T. Pereira (Campinas, SP)
Características do carro: Kadett GSI 2.0, 1994, gasolina

Dúvida: ao fazer curvas em velocidade baixa, o pneu esquerdo "canta". O carro está alinhado, assim como a cambagem está correta.

Resposta: Edmar, procure uma casa especializada para fazer o alinhamento técnico do seu carro pois, ao que tudo indica, ele tem problema de geometria das rodas.

S.O.S. publicado em: 05/04/2001
Enviado por: André A. Luiz (Blumenau, SC)
Características do carro: Monza S/R 1.8, 1986, gasolina

Dúvida: já fiz alinhamento e balanceamento em meu veículo e não consegui tirar um tremor na direção após 120km/h.

Resposta: André, tremor de direção é sempre questão de balanceamento mas, também, vale verificar se existe alguma irregularidade com os pneus ou deformação das rodas pois, nestes casos, o balanceamento ficará prejudicado. Caso esteja tudo normal, procure refazer o balanceamento mas, antes, explique o problema ao mecânico para que este lhe dê uma melhor atenção na hora de refazer o serviço.

S.O.S. publicado em: 22/02/2001
Enviado por: Paulo Schiavon (Curitiba, PR)
Características do carro: Monza SL 1.8 EFI, 1993, gasolina

Dúvida: meu Monza está com rodas 15" e pneus 195/50. Olhando-o de lado parece meio alto demais (espaço entre pneu e paralama) e quando entram duas pessoas atrás ele fica meio parecido com um "sapo": a frente fica ainda mais alta. Pensei em rebaixar um pouco a frente, mas tenho receio de que isso prejudique a estabilidade. Devo cortar as molas dianteiras? Isso prejudicaria os amortecedores? Existe outra forma de resolver este problema?

Resposta: Paulo, na verdade, a traseira do seu carro não devia arriar tanto com apenas duas pessoas. É bom você fazer uma verificação do estado geral das molas e amortecedores. Quanto rebaixar um pouco, é realmente possível, podendo, inclusive, se bem feito, melhorar a estabilidade, mas com um custo muito grande para o conforto, que já está prejudicado com a utilização de rodas de 15 polegadas e um pneu de perfil tão baixo. No caso de rebaixar, o ideal é que se utilize também amortecedores esportivos, reduzindo, assim, as batidas de final de curso provocadas pelos amortecedores originais em suspensões rebaixadas.

S.O.S. publicado em: 22/02/2001
Enviado por: Rogério Casagrande (Juiz de Fora, MG)
Características do carro: Monza GL, 1994, álcool

Dúvida: meu carro apresenta um barulho no setor de direção. Já foi substituída a bucha, mas sem solução. Notei que, ao passar em buracos, quando o barulho se manifesta, sente-se uma trepidação no volante. Alguns   mecânicos consultados acreditam ser a bucha que vai na coluna de direção, entre os eixos da coluna, mas o último profissional não resolveu o inconveniente.

Resposta: os mecânicos que você consultou podem estar com razão. Realmente isso é comum, mas também não se esqueça de verificar os terminais axiais que liga a caixa de direção à barra de direção.
Com relação ao mecânico que não resolveu o problema, espero que você também não tenha pago. Muito cuidado na escolha do profissional. Prefira os que realmente estejam preparados para o desempenho da profissão, o que você pode perceber pelas próprias instalações, que deve apresentar um ambiente limpo e ferramentes em perfeitas condições, além de equipamentos atuais e vasta literatura técnica. Quanto à honestidade, é difícil de se ter certeza antecipadamente, mas tome alguns cuidados como, por exemplo, solicitando um pré-orçamento detalhado com valores e prazo de entrega. Deixe bem claro que você efetuará o pagamento somente dos serviços combinados e, mesmo assim, se este resolver o seu problema. Não se esqueça de exigir a devolução das peças substituidas e o principal: nota fiscal.

S.O.S. publicado em: 05/01/2001
Enviado por: Carlos Albuquerque (Rio de Janeiro, RJ)
Características do carro: Monza SL/E, 1988, álcool

Dúvida: o Detran-RJ é muito exigente quanto suas inspeções anuais. Eu gosto muito do meu carro rebaixado e, na última vistoria, fui reprovado neste item, não tendo outra opção a não ser trocar as molas. Gostaria de saber se existe alguma altura padrão do carro em relação ao solo, e ou entre o pneu e para-lamas, pois, como muitos sabem, durante as vistorias do Detran não há nenhum engenheiro mecânico ou técnico das montadoras no local.

Resposta: realmente não existe nenhum engenheiro ou técnico da montadora numa estação de inspeção veicular, mas existe um profissional especificamente treinado e, como também não existe um padrão, este avalia a altura do veículo através de sua experiência e bom senso.

S.O.S. publicado em: 15/12/2000
Enviado por: Flávio (São Paulo, SP)
Características do carro: Monza SL/E 2.0 EFI, 1992, gasolina

Dúvida: andei notando que meu Monza nao tem uma boa suspensão. Sinto insegurança quando começo a andar um pouco mais. Anteriormente tinha um Chevette que tinha uma estabilidade bem melhor andando na mesma velocidade. É normal o Monza nao ter boa estabilidade?

Resposta: Flávio, é bom que você faça uma boa revisão na suspensão do seu veículo, pois não é comum o que ocorre com ele. Observe que o simples fato de o Monza ser um carro mais atual, ou seja, de melhor desenvolvimento tecnológico que o Chevette, o torna muito melhor que ele praticamente em todos os aspectos e também considero que o Monza assim como o Kadett tem a suspensão mais robusta dentre os carros nacionais. Aliás, muito adequado às condições de nossas estradas.

S.O.S. publicado em: 16/11/2000
Enviado por: Fábio Célio Ramos (Florianópolis, SC)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1985, álcool

Dúvida: andei trocando algumas peças e borrachas da suspensão dianteira do meu Monza, só que, ultimamente, ele anda fazendo uns barulhos estranhos, prinipalmente quando ando em calçamento _parece que vai cair tudo e o volante começou a vibrar novamente_ sem contar que, as vezes, em 3ª marcha, algo vibra sob o capô.

Resposta: não creio que o seu problema seja de suspensão. Aliás, me parece que você já a revisou. Pela descrição do problema, creio que tenha origem no terminal axial que liga a caixa de direção à barra de direção. Verificar na manutenção da caixa de direção ou no alinhamento. Se sofrer qualquer problema pode comprometer a durabilidade da caixa de direção e a segurança de se conduzir o veículo.

S.O.S. publicado em: 16/11/2000
Enviado por: Eduardo Dal Medico Chain
Características do carro: Monza SL 2.0 EFI, 1993, gasolina

Dúvida: tenho um pequeno problema no carro, que adquiri recentemente, muito parecido com um leitor do site: ao passar em ruas com calçamento, ou com asfalto mais "grosseiro", percebo uma vibração e um barulho vindo, aparentemente, de perto da roda dianteira esquerda. Pretendo levar a uma dessas casas especializadas, mas gostaria da opinião do consultor para evitar "explorações", muito comum nesses lugares, ou seja, trocarem peças desnecessárias.

Resposta: realmente, não é nada fácil de se fazer um diagnóstico de barulho na suspensão sem se verificar o carro, pois teríamos que saber das condições das juntas homocinéticas, batentes, amortecedores, pivôs, terminal de direção, terminal axial, tirantes, buchas, coxins do amortecedor, amortecedor e as molas. Compreendo a sua preocupação e, no entanto, digo que o risco pode ser minimizado se tomarmos alguns cuidades como: 1) critério na escolha do profissional a executar o serviço. Além de referências, é bom observar as condições gerais do estabelecimento, assim como do ferramental a ser utilizado. 2) Efetuar mais de um orçamento e fazer as comparações, principalmente dos ítens a serem utilizados e, também, compare os preços das peças em casas de autopeças. 3) Se possível, acompanhe a execução do diagnóstico e do orçamento, sempre buscando esclarecimentos do mecânico. 4) Deixe bem claro para o mecânico quais os resultados você está buscando e quais as suas necessidades.

S.O.S. publicado em: 02/11/2000
Enviado por: Tiago Marcos (Belo Horizonte, MG)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1985, álcool

Dúvida: comprei o carro há dois meses e gosto muito do Monza, mas o mesmo é sem direção hidráulica e acho a direção muito pesada. Já verifiquei a calibragem dos pneus, mas não resolveu. Principalmente quando os pneus estão frios, a direção fica ainda mais pesada para manobrar. Gostaria de saber o que pode ser e qual o preço para se instalar uma direção hidráulica.

Resposta: a direção pesada pode ter como origem os pneus (descalibrados ou gastos), ângulo de alinhamento da direção, pivôs, buchas e terminais engripados. Faça uma verificação do sistema e providencie o alinhamento da direção e, também, a cambagem se for o caso. A instalação da direção hidráulica original é muito simples e não requer nenhuma adaptação. Com um custo aproximado de R$ 900,00 é uma opção bastante interessante.

S.O.S. publicado em: 28/09/2000
Enviado por: Luiz Carlos Kerne (Itapetininga, SP)
Características do carro: Monza GL 2.0 EFI, 1994, álcool

Dúvida: ao andar em ruas de paralelepipedo, ou ruas de terra com buracos, sinto uma vibração no volante e também barulho que parece vir da supensão. O que pode ser?

Resposta: verifique a bucha retrátil, localizada junto à coluna de direção. Provavelmente a mesma apresenta folga por desgaste e a solução seria o seu embuchamento ou substituição da peça, sendo a segunda opção a mais indicada.

S.O.S. publicado em: 11/05/2000
Enviado por: Lisandro Calir Biacchi Adames (Porto Alegre, RS)
Características do carro: Monza SL/E 2.0, 1990, gasolina

Dúvida: quando o carro anda em piso irregular, as vezes, ouço um barulho de que algo está frouxo bem na frente e em baixo. O carro está em estado de novo. O que pode ser?

Resposta: devido à falta de maiores detalhes sobre o ruído, fica dificil de se fazer um diagnóstico. Aliás, vendo o carro já é dificil de se fazer um diagnóstico de barulho, pois são muitas as possibilidades e, muitas vezes, só ocorrem em determinadas situações, como no seu caso: em pisos irregulares.

S.O.S. publicado em: 27/04/2000
Enviado por: Jerson Silva Júnior (Belo Horizonte, MG)
Características do carro: Monza SL/E 2.0, 1989/90, gasolina

Dúvida: mandei alinhar e balancear meu Monza mas, na hora de executar o serviço, o profissional disse que teria que trocar os pivôs dianteiros pois estariam com folgas e, também, quatro buchas: duas do eixo traseiro e duas da barra da direção. Só que os preços das peças originais estão caros. Gostaria de saber se no paralelo estas peças são confiáveis. Peço algumas dicas de marcas. Outra coisa que percebi: o pneu traseiro esquerdo está com um desgaste maior do lado de dentro. O que poderia estar acontecendo?

Resposta: realmente existem muitas marcas paralelas no mercado de boa qualidade e com preço muito interessante, principalmente se comparadas com as originais. Observe que, em alguns casos, as peças ditas paralelas são as mesmas que a montadora utiliza. No caso dos pivôs, pode-se utilizar os da marca Nakata ou TRW e, as buchas traseiras, da marca Axios. No caso de substituição das buchas dianteiras, é recomendado a substituição da bandeja completa, podendo ser utilizada da marca Cofap. O desgaste irregular do pneu traseiro indica um desalinhamento do eixo traseiro, sendo necessário a substituição da ponta do eixo.

S.O.S. publicado em: 27/04/2000
Enviado por: Leonardo Lira Saraiva (Taquatinga Norte, DF)
Características do carro: Monza SL/E 1.8, 1989, álcool

Dúvida: meu Monza tem uma vibração quando se acelera em baixa rotação, quando está em primeira ou segunda marcha. Já fiz a troca do escapamento e um mecânico me falou que poderia ser que a lata que protege as correias da direção hidraúlica estaria amassada, ocorrendo a tal vibração mas, esta lata, já foi desamassada e a vibração continua. Poderia algo mais que estando também amassado o motivo? O que devo fazer?

Resposta: para uma perfeita avaliação o ideal é colocar o carro em um elevador e
funcionar o veículo nas condições em que ocorre a vibração, criando, assim, condições para uma análise muito mais precisa. Vale lembrar que, na maioria dos casos, a vibração é provocada pela fadiga da borracha do coxim dianteiro do motor e que, nestes casos, basta a sua substituição.

S.O.S. publicado em: 11/01/2000
Enviado por: Willians Antonio da Silva (Rio de Janeiro, RJ)
Características do carro: Monza SL/E, 1988, álcool

Dúvida: fiz uma viagem e, antes, mandei trocar os pneus e as rodas. Foi feito alinhamento e balanceamento. Como testei o carro na cidade, onde é impossível chegar a 100 km/h, fui achando que estava tudo ótimo mas, na estrada, sempre que ando a 120 km/h, o volante treme como se as rodas estivessem desbalanceadas. Tenho instalado, em meu carro, aquele tal de "volante anti-furto", onde o mesmo é retirado. Os pneus são da Pirelli, modelo P44 185/70 R 13. Quanto às rodas, não reparei na marca e modelo. Devo fazer novamente o balanceamento e alinhamento? Posso estar com problemas na caixa de direção? Ou, então, o problema é com o sistema anti-furto? Gostaria de saber, também, porque a diferença de preços de amortecedores é tão grande, ou seja, para trocar os quatro e o jogo de molas, me deram os seguintes orçamentos: R$ 330,00 na primeira loja; R$ 300,59 na segunda e R$ 170,00 na terceira. Os técnicos responsáveis me informaram que a marca dos amortecedores é Cofap e as molas Hoescht. Disseram que, talvez, seria necessário trocar outros componentes ligados aos amortecedores e à suspensão. Por este motivo, quais seriam estes prováveis componentes? Como faço para ter certeza de que os devidos amortecedores, a serem instalados, são novos ou recondicionados e quais os sintomas que o veículo apresentaria para que fosse necessária a troca das devidas peças? Na última revisão, foi constatado que a troca das molas precisaria ser feita, pois os anéis estavam encostando.

Resposta: o problema em questão nada tem a ver com caixa de direção e tampouco com o sistema anti-furto. Existe a possibilidade de estar com folga na suspensão, mas o mais provável é balanceamento mal feito. Quanto a utilização de rodas esportivas, tenho observado que, por uma questão de estética, se instala o peso do lado de dentro da roda, mesmo quando esse é necessario estar do lado de fora, o que acaba ocasionando a tal vibração. O leitor tem razão em desconfiar dos orçamentos, principalmente devido à grande diferença entre eles. A troca dos amortecedores tem sido o grande chamariz dos centros automotivos e, por isso, informam em suas promoções os mais diversos preços e, em alguns casos, preços até abaixo do custo. Isso acontece por ser muito comum simplesmente perguntar quanto custa para trocar o amortecedor... Mas depois começam aparecer outros itens, como: buchas, bandejas, terminais de direção, alinhamento, cambagem e por ai vai. Sempre com preço acima do praticado no mercado, pois, de alguma forma, a oficina precisa recuperar as vantagens financeiras perdidas ao informar o baixo preço do amortecedor. Sendo assim, nunca aceite um orçamento parcial, exija sempre que examine a suspensão e seja elaborado um orçamento prévio que conste, detalhadamente, as peças, marcas e preços de todo o material necessário, assim como dos serviços, tal qual mencionado na Lei do Consumidor. Só assim você terá alguma segurança. A Cofap sempre forneceu seus produtos às mais diversas distribuidoras de autopeças, sempre com o mesmo preço _independentemente de quantidade ou localização dos mesmos e, também, tem batalhado muito para acabar com os anúncios com preços irreais. Por este motivo, passou a imprimir os certificados de garantia na própria caixa do produto, para que o mesmo não seja reaproveitado.

S.O.S. publicado em: 20/12/1999
Enviado por: Bernardo Gravino da Fonseca (Nova Friburgo, RJ)
Características do carro: Monza GLS 2.0 EFI, 1995, gasolina

Dúvida: meu carro começou apresentar um vazamento de óleo proveniente da direção hidráulica. Gostaria de saber o que terá que ser trocado e uma idéia do que irei gastar.

Resposta: quando o vazamento se tratar de mangueiras, basta substituí-las. Nas conexões, efetuar vedações e, quando se tratar da caixa de direção, basta fazer a manutenção trocando o reparo que deverá ter um custo de, aproximadamente, R$ 200,00. A manutenção da caixa de direção, apesar de parecer simples, deverá ser efetuada por um profissional devidamente habilitado e que possua bancada de teste do mesmo.

Volta para página inicial Conheça o Monza Clube do Brasil Participe do Clube Confira a agenda do Monza Clube Mapa do site A maior montadora do país Um marco na indústria automobilística Parceiros do Monza Clube Shopping Fale Conosco

Monza Clube do Brasil - Todos os direitos reservados